A história do Yorkshire Terrier

Nasci de um cruzamento de alguns terriers: Dandie Dinmont, Manchester Terrier, Skye Terrier e o Maltês. Não conheço todas essas raças de perto, mas tenho cá comigo que eles deviam ser lindos, pois a mistura ficou fenomenal.

Essa mistura chamou muito a atenção dos criadores e me tornei um cãozinho bem cobiçado por todos. O primeiro padrão da minha raça foi registrado em 1898. 

Em outro século (no 19, para ser específico) me utilizavam muito para a caça de ratos em minas de carvão. Isso não deveria ser obrigação de um gato? Tudo porque eu era pequeno e ficava fácil de me carregar e colocar nos lugares de difícil acesso. 

Mas esse tempo de caça acabou. Pra dizer a verdade, acho que nunca foi muito o meu barato e ainda bem que pararam de me atormentar e deram essa tarefa para outros cães. 

Essa mistura da minha raça se deu na Inglaterra, embora também digam que minha procedência foi na Escócia. O que não gosto muito é de lembrar que já me deram o nome de Terrier Anão. Quanta falta de imaginação!

Ainda bem que, por eu ser bonito, vistoso, charmoso e dócil, a realeza, na época, acabou por me adotar como cão de companhia. Passei a fazer parte de um círculo nobre...e assim ficou até os dias de hoje.

Isso tem muito mais a ver comigo.