O cão investigando o ambiente em que vive

Para investigar as coisas a volta os cães costumam morder e mastigar essas coisas (é de comer? :-)

Quando ainda somos filhotes, temos atitudes muito parecidas com os bebês humanos. Adoramos morder e descobrir coisas. Os três primeiros meses de vida são muito importantes para o nosso desenvolvimento e é assim que vamos descobrir o que é perigoso e o que não é.

  1. Meu instinto faz com que eu morda as coisas para conhecê-las melhor. Portanto, nada me bater porque mordi todo o cordão do seu sapato. Para mim, morder o seu sapato, faz com que eu me sinta mais perto de você, porque ali tem o seu cheiro. Façamos o seguinte: você pode me dar um sapato velho seu para que eu me delicie nas horas vagas. Outra alternativa é tirar os seus sapatos das minhas vistas e substituir por outra coisa que eu possa brincar. Bater nunca!
  2. Pode ser comum você me ver brincando com uma barata ou outro inseto, por exemplo. Eu a jogarei pra lá e pra cá, até que a feiosa pare de correr ou voar. Não é que eu goste de baratas, não. Mas só estou querendo conhecer as coisas que passam perto de mim.
  3. Você também pode me ver ficar por horas puxando fios de um rolo de lã ou brincando e mastigando um brinquedo de plástico. Caso eu conviva com outros cães, posso até disputar por pedaços de coisas para brincar. Não se preocupe. É assim que nós desenvolvemos o olfato, o tato e o paladar. Tudo normal.

Telma da Camara