O temperamento de um Afghan Hound

Não é que eu seja arrogante, apenas tenho muita personalidade

Muito bem! Sou um Afghan Hound e se você me escolher para ser seu cão de companhia, você será uma pessoa de sorte, pois além de eu ser um grande companheiro, gosto de passar várias horas ao lado do meu dono.

Mas é bom saber que não sou chegado a ficar dando demonstrações de amor e nem muito menos ficarei pulando em você quando chegar em casa. Também não ficarei lhe lambendo para receber um carinho, portanto, se você é daquelas pessoas que clamam por afeto, me esqueça!

Fora isso, tenho pontos muito positivos. Você não me escutará latindo, a não ser em raras ocasiões que julgarei de extrema importância, e nem me verá lhe perseguindo pela casa em busca de atenção. Não sou carente e gosto de ficar na minha!

Vou gostar se você me convidar para assistir televisão com você, de escutar uma boa música ou até ficar ao seu lado enquanto você lê um bom livro. Mas nem tente ficar jogando bolinhas para que eu saia correndo pra brincar. Muito menos me atiçar pra rolar no chão pra fazer uma bagunça, como se faz com outros cães, pois não lhe darei a mínima. Pelo contrário, talvez eu até lhe lance um olhar de pouca importância, pra lhe dizer que você não está lidando com um cão qualquer, mas sim, com um cão refinado que não admite atitudes espalhafatosas e sem classe. Ou seja, você me obrigará a lhe colocar no seu lugar, mas tudo isso, sem grandes latidos ou brigas. Ficarei bem quietinho e não moverei uma pata sequer para entrar no seu esquema de brincadeiras. Serei somente indiferente, pois acho tudo isso muito infantil...

Não pense que sou anti-social. Simplesmente sou um cão de personalidade, refinado e de grande autoestima. Sem querer ser arrogante, eu me basto!

Mas se você for tão refinado quanto eu, vai adorar meu comportamento, pois sei me portar, verdadeiramente, e lhe obedecerei sempre, desde que você aja comigo como eu espero.

Para que esses probleminhas da minha personalidade sejam resolvidos, já aviso que terei que ser treinado desde muito cedo, pois não sou de me submeter a qualquer ordem.

Não é à toa que dizem que sou eu quem escolhe o meu dono e não o contrário.

Mas saiba que serei apegado a você, mesmo sem grandes demonstrações de afeto, e não admitirei ficar com mais ninguém. Serei um cão muito infeliz se isso acontecer.

Nem tente me dar para alguém, após ter ficado comigo os primeiros meses de vida. Provavelmente, irão me devolver pra você, até porque, posso transformar a vida do novo dono em um inferno, pois uma vez que eu tenha me acostumado com você, não aceitarei conviver com outra pessoa e me recusarei a ser obediente.

Telma da Camara