Um pouco mais sobre o Afghan Hound

Falam muita coisa negativa ao meu respeito, mas é tudo despeito e recalque

Alguns dos meus irmãos, adquirem uma barbicha, que geralmente cai aos 12 meses. Essa barbicha é também chamada de mandarim. Eu prefiro o segundo nome, pois é um nome mais nobre. Barbicha é um termo usado por cães comuns. Odeio expressões chulas.

Se quiser uma raça com pedigree, eu sou um deles. Para isso, é só você conhecer meus pais e também toda a minha árvore genealógica. Isso lhe dará a certeza de me adquirir, sem que eu apresente possíveis defeitos e nem doenças que não fazem parte da minha raça.

Quanto ao sexo, tanto os machos quanto às fêmeas, têm as mesmas características. As fêmeas são mães perfeitas e causam inveja a qualquer Supernanny. Não abandonam seus filhotes em hipótese alguma e cuidam deles com disciplina e muito carinho.

Quando nascemos, não parecemos em nada com aquela exuberância que ganhamos quando somos adultos. Tenho que admitir que somos bem feios quando nascemos. Mas qual recém nascido não tem cara de joelho?

Tenha paciência. Aguarde mais uns meses que você começará a ver muita beleza surgindo e vai se orgulhar muito de ter me escolhido como seu companheiro.

Quanto às cores, você pode escolher a cor que desejar. Todas elas são lindas.

Ahhhh... devo reforçar que se quiser que eu lhe obedeça, comece a me ensinar todas as lições, desde muito cedo.

Alguns treinadores dizem que em matéria de inteligência, eu fico lá no final da lista. Dizem até que isso foi provado, mas eu acho que esse é um comentário muito invejoso. O que acontece, é que as pessoas ainda não entenderam que eu estou acostumado a comandar e não gosto de ser mandado. Não tenho culpa de não ser submisso. Se você tiver um pouco de paciência, eu vou lhe obedecer. Não desanime!

Também dizem que eu não gosto de crianças. Eu gosto sim. É que as crianças gostam de fazer bagunça com os cães e eu gosto de ter compostura. Mas se eu conviver com elas, desde pequeno, eu me acostumarei com isso, embora elas vão se decepcionar um pouco comigo, pois não sairei correndo atrás delas. Só não me peça para ser paciente com as crianças da vizinhança e nem com estranhos. Definitivamente, nessa hora, me "inclua fora dessa roubada"!

Deixe que eles somente me admirem.

Telma da Camara